“Subestimado, com certeza”, é o que diz o personagem Nick Cage, interpretado pelo ator Nicolas Cage, acerca do filme Capitão Corelli, estrelado por Nicolas Cage em 2001. Essa é apenas uma das situações que O Peso do Talento (The Unbearable Weight of Massive Talent, no original) apresenta com frequência.

Em baixa e refém de seu já ultrapassado sucesso, Nicolas Cage aceita o convite milionário de um fã (Pedro Pascal) para comparecer à sua festa de aniversário em Mallorca, na Espanha. Lá, ele se encontra metido em meio a uma organização criminosa internacional e pode ser a única esperança do governo americano. Simples.

O filme traz um constante flerte com o absurdo, sempre dando uma charmosa piscadela para o espectador. É justamente nessa brincadeira de expectativas que acontecem os melhores momentos de O Peso do Talento. O “momento trailer”, a viagem de ácido, a execução de um filme dentro do filme e toda a construção do personagem Nicolas Cage servem tanto como um agregador como uma sátira a muito do que é feito em Hollywood nos últimos anos.

A metaficção de Tom Gormican é um alento ao gigante fandom criado em torno da persona de Cage. Tendo o protagonista como um entusiasta do cinema, é curioso ver como o roteiro ultrapassa o ponto básico de consciência ao abordar o mundo hollywoodiano.  Essa consciência passa a ser uma sátira de si mesmo, criando uma carta branca para que o diretor execute qualquer ação com uma licença poética. Afinal, com Nicolas Cage, nada é cafona demais.

O ritmo do filme possui problemas e o excesso de possibilidades não facilita o rumo da obra. O mesmo sistema que permite que O Peso do Talento tenha liberdade coloca uma trava para que haja uma relação emocional com as ações retratadas na tela. Ainda assim, a química de Cage e de Pascal surpreende e adiciona um elemento humano muito necessário.

Ao fim, O Peso do Talento confere uma lufada de ar fresco em meio ao mais do mesmo e certifica, mais uma vez, Nicolas Cage não apenas como um dos mais bem-sucedidos atores da sua geração, mas também um do mais conscientes.

Assista ao trailer:

O Peso do Talento

3.5

3.5/5
Escrito por

Alberto Fanck

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.